O que é Turnover? Tipos, causas e consequências!

Turnover

Você já ouviu falar no turnover?

O uso de indicadores, também conhecidos como KPIs, têm se tornado cada vez mais nas empresas. 

É uma estratégia inteligente, adotada por negócios que querem avaliar seus resultados e adotar melhorias. 

E o turnover, assim como diversos outros indicadores, auxilia nesse objetivo. 

Venha conosco e conheça o que é turnover e como ele pode ajudar a identificar pontos falhos na sua empresa. Veremos sua fórmula, ensinando você como calcular o turnover. Acompanhe-nos!

O que é turnover?

Traduzido ao português, turnover significa “renovação” ou “virada”. 

Levando ao mundo empresarial, esse termo tem relação com a ideia de rotatividade. Trata-se de uma taxa para medir a rotatividade de funcionários numa empresa durante um período pré-determinado

Geralmente, as empresas costumam utilizar o período de um ano

Antes de qualquer coisa, vamos deixar claro que uma taxa de rotatividade não é sinônimo de algo ruim. Na verdade, é até saudável que uma empresa mantenha essa taxa, desde que haja limites. 

Nesse sentido, o turnover ajuda a empresa a mensurar a quantidade de funcionários que saíram. 

Mas, podemos ir além disso…

Podemos aplicar o turnover, por exemplo, em subcategorias, como em grupos demográficos ou em certos departamentos. 

No setor de Recursos Humanos (RH), por exemplo, as empresas sempre precisam lidar com o turnover, mesmo que desconheçam o termo. 

Afinal, o movimento de trocar um colaborador, substituindo-o por um novo, é algo que faz parte da rotina de um RH. 

Entretanto, vale destacar que o turnover não implica, necessariamente, contratações e demissões. 

Podemos pensar também em aposentadoria, afastamento, transferência, entre outros modelos.

Tipos de turnover

Além de entender o que é turnover, precisamos compreender que existem diversos motivos que podem levar à saída de um colaborador da empresa. 

Em virtude disso, podemos falar em diferentes tipos de turnover. 

E é sobre isso que veremos a seguir. Confira!

1. Turnover voluntário e involuntário

O primeiro turnover de funcionários que veremos é o voluntário. Como o próprio nome sugere, no turnover voluntário é o próprio funcionário que, por iniciativa própria, solicita o desligamento da empresa

Em outras palavras, é quando o funcionário se demite. No Brasil, esse tipo de turnover tende a ser mais comum entre executivos e profissionais com nível superior. 

Além disso, há diversos motivos que podem provocar o turnover voluntário.

Por isso, nós filtramos os motivos principais. Confira:

  • Busca por novas oportunidades e/ou remuneração maior;
  • Insatisfação com a organização em que se encontra;
  • Falta de plano de carreira na empresa;
  • Conflitos internos.

De outro lado, temos ainda o turnover involuntário, quando a empresa toma iniciativa e efetua o desligamento do funcionário. Ou seja, quando o colaborador é demitido.

Ainda vale destacar que o turnover involuntário é mais caro para a empresa, já que ela será obrigada a pagar uma série de verbas rescisórias e direitos trabalhistas

2. Turnover funcional e disfuncional

De certa forma, esses dois tipos de turnover são ligados ao turnover voluntário, visto anteriormente. 

Eles têm relação com a produtividade do funcionário e o quanto o seu desligamento impacta a empresa em que trabalhava. 

Primeiramente, pensando no turnover funcional, o próprio funcionário solicita desligamento da empresa.

Contudo, trata-se de um funcionário insatisfeito com a empresa e, por esse e outros motivos, apresenta um baixo rendimento. 

Chamamos de funcional porque, ao final, a empresa não estará perdendo nada.

Além de não ter gastos com as verbas rescisórias (porque ele que pediu demissão), abrirá espaço para vir um bom funcionário em seu lugar. 

Ainda temos o turnover disfuncional que, neste caso, a empresa também perde com a saída do funcionário. Isso porque, trata-se de um funcionário cujo desempenho é elevado

Ocorre que, ao perder um bom funcionário, a empresa pode ter sua produtividade prejudicada. 

Quais as principais causas do turnover?

Quando ocorre o turnover, há diversos motivos que podem provocar esse cenário. É preciso entender esses motivos, pois, a depender do cenário, precisamos saber como diminuir o turnover na empresa. 

As principais causas do turnover são a falta de reconhecimento, oportunidade e/ou remuneração

Bons profissionais precisam ser reconhecidos e remunerados. Caso contrário, eles procurarão melhores oportunidades em outras empresas. 

Além disso, profissionais com desempenho diferenciado estão sempre em busca de crescimento. O tipo de funcionário está sempre atualizado, faz novos cursos, participa de palestras e workshops.

E claro, faz tudo isso querendo receber algo em troca, afinal, oferece um excelente desempenho à equipe. 

Mas, se a empresa oferece salários baixos, pouco ou nenhum plano de carreira, não reconhece o bom serviço, inevitavelmente esse colaborador procurará outra companhia para desempenhar suas funções.

Além desses motivos, também podemos citar como causas do turnover:

  • Conflitos que ocorrem entre os líderes e seus inferiores hierárquicos;
  • Excesso de sobrecarga, muito cansaço e cobrança imposta sobre o profissional;
  • Processo de seleção de funcionários feito de modo inadequado, levando a contratação de alguém que não atende ao perfil da vaga;
  • Cultura da empresa tóxica. 

Como calcular o percentual real e ideal de turnover?

Vamos entender agora como calcular o turnover de uma empresa, quer seja o ideal ou o real. 

Primeiramente, vejamos o turnover ideal de uma empresa. 

A verdade é que, para determinar o turnover ideal, precisamos fazer uma análise mais complexa, considerando o momento da economia, políticas internas e situação da empresa. 

Por ser mais complexo, é mais recomendável fazer uma aproximação. 

Sendo assim, um percentual de turnover de até 10%, em uma empresa é considerado bom

Com essa taxa, a empresa oferece um bom ambiente de trabalho, retendo os bons funcionários. 

Mas, também precisamos falar sobre o turnover real. Nele, consideraremos:

  • Quantidade de pessoas contratadas;
  • Quantidade de pessoas desligadas;
  • Total de funcionários.

Com essas informações, vamos aplicar a seguinte fórmula:

(N° pessoas contratadas + N° pessoas desligadas) / 2

Depois:

(Resultado obtido anteriormente / Total de funcionários) x 100

Consequências de uma alta taxa de turnover

Para uma empresa é muito importante compreender qual o conceito de turnover. Isso porque existem consequências reais caso essa taxa fique muito elevada. 

A consequência imediata, e uma das mais significativas, é o aumento dos gastos da empresa

Um índice turnover elevado deixa as finanças de uma empresa desequilibradas. 

Além disso, envolve uma série de outros gastos, tais como:

  • Gastos com processos seletivos e novas contratações;
  • Gastos com verbas rescisórias e demais despesas, relacionadas ao desligamento e aos direitos trabalhistas;
  • Gastos para treinar novos colaboradores;
  • Gastos para capacitar e aperfeiçoar habilidades;
  • Gastos para divulgar novas vagas;
  • Custos indiretos. 

Ademais, um turnover de funcionários elevado pode influenciar consideravelmente a credibilidade da empresa, tanto internamente, entre os funcionários, quanto externamente, entre os candidatos.

Isso é ruim, inclusive, para que a empresa consiga atrair novos bons profissionais. 

Indicadores que podem estar associados ao turnover

Taxa geral de retenção, de rotatividade e retenção de talentos

Taxa geral de rotatividade: índice que mensura a quantidade de pessoas que saíram e entraram em determinado período.

Taxa geral de retenção: nessa taxa, definiremos a quantidade de funcionários retidos em determinado período. 

Faremos o cálculo assim:

N° desligados = n° desligamentos por mês / total de funcionários

Se o resultado encontrado for muito alto, significa que a empresa possui problemas em sua organização e isso prejudica a retenção de funcionários.

Rotatividade involuntária: ocorre quando a empresa desliga o funcionário, independente do motivo. Nesse indicador, a própria empresa pode fazer o mapeamento das causas que geraram o desligamento.

Rotatividade voluntária: ocorre quando o funcionário solicita o desligamento da empresa, independente do motivo. 

Uma forma de mensurar esse indicador é fazer entrevista de desligamento com o colaborador. Assim, podemos mapear o que levou o funcionário à demissão e, possivelmente, resolver o problema futuramente.

Retenção de melhores talentos: se esse índice é significativo, podemos deduzir que a empresa consegue oferecer boas condições de trabalho.

Conclusão

O turnover é um indicador simples, mas com muito valor para uma empresa. A partir dele, podemos mapear as circunstâncias internas da companhia, como, por exemplo, as condições de trabalho oferecidas. 

É muito importante avaliar essa taxa anualmente, até mesmo para repensar o planejamento da empresa e observar se as estratégias adotadas estão sendo eficazes.

Caso não sejam, precisamos sentar com a equipe e pensar em meios de reverter esse quadro. 

Ficou alguma dúvida? Caso tenha ficado, deixe sua dúvida nos comentários!

0 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like